Designação/Título: Rei D. Duarte


Autoria: Álvaro de Brée (1903-1962)


Datas Relevantes: 1955 (execução e inauguração da estátua)


Materiais: bronze (estátua) ; granito (pedestal)


Dimensões:


Promotor: Câmara Municipal de Viseu


Localização: Praça D. Duarte (Viseu – Portugal)

Nota: originalmente, neste local, esteve exposto um busto do escritor Luís Vaz de Camões.


Coordenadas GPS: 40.659496° ; -7.911578°

Descrição

A estátua de D. Duarte assenta sobre um duplo pedestal de granito. Aquele que surge no registo inferior assume uma planta quadrangular e exibe faces laterais oblíquas, estreitando em direção ao topo; o outro, apresenta formato paralelepipédico e uma verticalidade mais pronunciada. Além disso, possui as arestas laterais biseladas e conta com a presença de duas inscrições, ambas compostas por caracteres incisos e avivados a dourado. A primeira dessas inscrições equivale à legenda e aparece na face frontal: «REI D. DUARTE / 1391 – 1438 / ESC. ALVARO DE BREE». A outra, refere-se especificamente à data de edificação e surge na face posterior: «ERIGIDO EM / MCMLV».

Sobre o pedestal repousa depois a imagem do rei, esculpida em bronze e dotada de uma certa imponência: uma imponência que resulta não apenas dos símbolos de poder que ele ostenta, mas também por apresentar uma envergadura que ultrapassa claramente as proporções humanas normais.

A figura do monarca segue os cânones de representação tradicionais. D. Duarte surge em pé, numa pose frontal e solene, segurando o ceptro com a mão direita e empunhando uma coroa sobre a cabeça. A mão esquerda está a segurar um livro (que simboliza o seu interesse pela cultura e a autoria de várias obras), mas não se afasta em demasiada da espada que pende da sua cintura. Para além da coroa supracitada, os trajes reais impunham a presença da armadura metálica, do manto apoiado sobre os ombros, e do colar contendo uma cruz de hastes em flor-de-liz. Acresce o vestido curto, cingido à cintura por um cinto.

A rigidez da figura só é atenuada pelo ligeiro avanço da perna esquerda, com o respetivo pé a ultrapassar o limite da base.

A base que acabámos de referir possui uma planta de secção quadrangular (ainda que com os vértices cortados) e ostenta uma inscrição incisa na sua face esquerda: «ESC ALVARO DE BREE / 1955».

Arquivo Gráfico

Vídeo

Documentos

  • FIGUEIREDO, António Vicente – Viseu: Santa Maria. História, memória e património. Viseu, Freguesia de Viseu, 2017.

Outras referências

ID da Entrada: NTGD.2019.0008

Ruben Marques (2019-08-23)